24/06/2019 01h50 - Atualizado em24/06/2019 04h35

Sergipanos e turistas lotam Arraiá do Povo na véspera de São João

Quinteto Violado, uma das atrações da noite, homenageou compositores nordestinos como: Luiz Gonzaga, Geraldo Vandré, Dominguinhos e Jackson do Pandeiro

Notice show 037d8593344254bc
Foto: João Daniel

A quarta noite de programação do Arraiá do Povo atraiu famílias, turistas e visitantes que vieram prestigiar o melhor da cultura junina. Em sua 12ª edição, o evento surpreendeu mais uma vez, com um público animado que lotou a praça de eventos da Orla de Atalaia neste domingo, 23, véspera do São João e um dos dias mais tradicionalmente animados  no Nordeste.

O grupo Vivace  abriu a programação da noite, com  um espetáculo musical que mescla a técnica do cantar coral, com suas harmonias e distribuição de vozes, com a música folclórica do nordeste, numa simbiose de sons e interpretações. A apresentação que agradou o público em geral, trouxe no enredo o romantismo e a alegria das festas juninas no estado e  contou com a participação da cordelista Isabel Nascimento.

A noite também teve como destaque as atrações sergipanas Pavio do Forró e Heitor Mendonça. "Nós do Pavio do Forró viemos dispostos a botar todo mundo pra dançar e foi isso que aconteceu. Quero agradecer a professora Conceição Vieira que está dando um show na Funcap, valorizando de fato a cultura e os artistas sergipanos", defendeu Normândio Santos, vocalista da banda Pavio do Forró.

“Essa é a segunda vez que toco nesse palco e resolvemos apresentar um projeto novo, um forró jazz, onde pegamos uma banda de jazz e pensamos: por que que esses músicos de jazz não podem tocar forró? E aí agora o solos da sanfona estão divididos com o saxofone, com o contra baixo acústico e têm uma sonoridade bem diferente, mas com o repertório tradicional homenageando Jackson do Pandeiro e outros nomes da música nordestina. O público gostou e nós ficamos felizes com o retorno", destacou Heitor Mendonça.

Com quase 50 anos de carreira, o Quinteto Violado de Pernambuco brindou o público com uma  apresentação que homenageou compositores nordestinos como: Luiz Gonzaga, Geraldo Vandré, Dominguinhos e uma atenção especial a Jackson do Pandeiro. Clássicos como:  Sebastiana, o Canto da Ema,  Chiclete com Banana, além de Asa branca, Boiadeiro, Qui nem jiló, Eu só quero um xodó, Gostoso demais, Disparada e Pra não dizer que não falei das flores fizeram parte do repertório.

"É sempre uma satisfação muito grande tocar em Aracaju, porque somos muito bem recebidos aqui e todos os anos estamos presente nessa festa trazendo um repertório que faz parte da nossa história que já está perto dos cinquenta anos. Hoje nós apresentamos uma homenagem especial ao Jackson do Pandeiro, pois temos no nosso repertório uma dedicação imensa a obra dele e por este ser o ano de centenário de Jackson. Foi uma apresentação bonita, muito animada e o povo como sempre nos respondendo com muita emoção" destacou Marcelo Melo, único remanescente da formação original do Quinteto Violado.

Programação para todos os gostos

Já no Arraiá da Clemilda, o Grupo Mamulengo  Cheiroso apresentou em primeira mão o espetáculo "Bota Pó, Vitalina Tira Pó" escrito por Aglaé Fontes, uma das mais influentes personalidades da  Literatura Sergipana  e uma das maiores pesquisadoras do folclore do estado, que explicou de onde veio a inspiração para escrever o espetáculo.

"Na cultura popular existe uma brincadeira sobre as pessoas que demoram a casar, onde botavam o apelido de Vitalina que não sai do caritó, que era o não casar. Então eu me inspirei nesse personagem, apresentei o texto e eles gostaram. Hoje, aqui no Arraiá do Povo foi a estréia desse  espetáculo e pela reação do público eu acredito que eles vão repetir a apresentação. Eu fico extremamente feliz com meus 84 anos de vida ainda poder colaborar com a cultura sergipana", explicou Aglaé.

Em seguida,  Odir Caius subiu ao palco.  Forró do Bão deu continuidade as apresentações e os Pé de Cana encerrou a noite, que também teve a participação da Companhia de Dança Nu Tempo Dance.

A advogada Lidiane Marques falou  que comparece a festa desde a abertura na última quinta-feira, 20, e o Barracão da Clemilda é seu local preferido no evento. "Eu adoro dançar e esse espaço coberto tocando o autêntico forró é uma maravilha. Pretendo vir todos os dias, pois São João é a melhor época do ano", disse com entusiasmo.

A festa segue até o dia 30 de junho, reunindo mais de 60 atrações entre artistas e bandas sergipanas, nordestinas e de destaque nacional, quadrilhas e grupos folclóricos que foram  selecionadas via edital. Mais uma vez, o espaço conta com toda infraestrutura para os visitantes, formando um verdadeiro arraiá, com igreja, bodega, estandes de comidas típicas, artesanato, parque infantil, polo gastronômico e  dois palcos.