13/07/2019 10h50 - Atualizado em18/07/2019 07h47

Orsse retoma temporada de Concertos no Atheneu e público comemora

O público fiel prestigiou a apresentação e nem mesmo as chuvas que estão caindo na capital sergipana atrapalhou o concerto

Notice show 4cb3a57b2297b166
Foto: Ascom

A Orquestra Sinfônica de Sergipe (Orsse) retornou aos palcos do Teatro Atheneu, na última quinta-feira (11) para a apresentação de importantes obras do repertório orquestral ocidental. O público fiel prestigiou a apresentação e nem mesmo as chuvas que estão caindo na capital sergipana atrapalhou o concerto. O maestro regente Guilherme Mannis, agradeceu a presença do público e falou sobre a apresentação. 

"Estamos muito felizes com a fidelidade de nosso público, que em um dia de chuvas e inundações esteve presente e prestigiou nosso grupo", disse Mannis. O concerto brindou o público com três peças: além da sempre impactante 5ª de Beethoven, que sempre emociona,  a orquestra executou o delicado Idilio de Siegfried, de Wagner, e a difícil Abertura “Don Giovanni”, de Mozart. "Uma alegria poder trazer estas peças ao público", acrescentou o maestro.

O Violinista Wagner Barreto também ressaltou a alegria em  apresentar o concerto."Esse concerto é sempre muito especial, pelo motivo de estarmos tocando peças românticas, que eu particularmente adoro. Uma peça de Beethoven que apesar de ter características  do clássico, são obras que perpetuam ao longo do tempo por sua beleza e genialidade. Obras ricas em harmonia que é sempre muito prazeroso para nós executarmos", frisou.

Raquel Jaciuk, estudante de Biomedicina, disse que infelizmente no Nordeste a cultura da música clássica não é muito admirada, mas ela fica grata com a preocupação do Governo do Estado em manter essas apresentações da Orsse. "Esses concertos que acontecem duas vezes ao mês é maravilhoso, pois nós que gostamos desse estilo de música não temos tantas opções aqui em Sergipe, onde a pessoas apreciam mais o forró, o sertanejo, enfim,  eu  amo esses concertos e  prestigio quase todos", afirmou.