22/08/2019 05h15 - Atualizado em23/08/2019 11h34

Dia do Folclore é marcado com abertura da exposição cultural Lambe-Sujos x Caboclinhos

A exposição traz registros da festa que acontece anualmente no segundo domingo de outubro no município de Laranjeiras

Notice show e0c652badaa41810
Foto: Ascom

O Corredor Cultural Wellington Santos “Irmão”, recebeu na manhã desta quinta-feira(22), data em que é comemorado o Dia do Folclore, a exposição de fotografias “Lambe Sujo X Caboclinho”, do fotógrafo Márcio Garcez. O evento que é uma realização do Governo do Estado, contou com a participação da presidente da Fundação de Cultura e Arte Aperipê de Sergipe, Conceição Vieira. A exibição tem curadoria de Ézio Deda e Mario Britto e fica aberta ao público até o dia 20 de setembro, com entrada gratuita.

A exposição traz registros da festa do Lambe-Sujo x Caboclinhos, que acontece anualmente no segundo domingo de outubro no município de Laranjeiras. Trata-se de uma manifestação folclórica que representa a luta entre negros (escravos dos quilombos) e índios – os caboclinhos - usados pelos brancos na captura de escravos fugitivos e destruição dos quilombos. Na encenação a céu aberto, os "lambe-sujos" se pintam com tinta xadrez preta, melaço de cana e se vestem com calções e gorros vermelhos. Já os "caboclinhos" se pintam de tinta xadrez vermelha, usam cocares e saiotes de pena, pulseiras e colares e se armam de arco e flecha.

Conceição Vieira, presidente da Fundação de Cultura e Arte destacou que o Corredor Cultural que leva o nome do saudoso  Wellington dos Santos, conhecido como 'Irmão', por si só já inspira os artistas sergipanos a trazerem sua exposição para o espaço. “A história de 'Irmão' já consegue essa maravilha que é inspirar cada vez mais o artista sergipano. E desta vez o corredor recebe a exposição de Márcio Garcez que já percorreu vários estados da federação, que já expos no senado federal em Brasília, o retrato da história viva de parte do folclore sergipano e abrir essa exposição neste Dia do Folclore é magnífico, é muito forte, pois Márcio tem isso, ele  influencia-se nessa cultura fortíssima e é isso que nós queremos cultuar. O espaço de cultura de Sergipe é um espaço de formação, além de informação”.

O fotógrafo Márcio Garcez que já percorreu alguns estados do país, inclusive, sendo destaque na capital federal com essa exposição, agradeceu a oportunidade e disse que é uma alegria imensa nesse Dia do Folclore, poder mostrar a história de Sergipe, que segundo ele é também a história do Brasil. “Essa mostra é uma versão que conta um pouco de forma sintética a festa do ‘Lambe Sujo X Caboclinho' e eu me sinto muito feliz  justamente neste Dia do Folclore,   que dentre tantas outras manifestações culturais, o Lambe Sujo x Caboclinhos esteja sendo  prestigiado  e aqui no Corredor Cultural  do saudoso ‘Irmão’, que tive o prazer de conhecer e conviver. A sensação é de imensa felicidade por  ter sido convidado para expor esse trabalho neste dia especial”, ressaltou.

Para Eliana Borges, gerente de edição e memória da Funcap, o objetivo da exposição é comemorar o dia do folclore. “O Dia do Folclore é sem dúvidas um dia muito relevante, especialmente para nós que trabalhamos com cultura, então a diretoria da Fundação escolheu criteriosamente essa exposição que ressalta uma das mais tradicionais festas do calendário folclórico de Sergipe, que é esse embate teatral entre negros e índios que retrata essa folha histórica do país. E essa exposição é um lindo trabalho de Márcio, onde  ele retrata todos os detalhes da festa”, finalizou.

Edson Messias Leite, conhecido nessa tradição Lambe Sujo e Caboclinho como Patativa, que fez uma apresentação durante o evento, disse que trazer a exposição para o Corredor Cultural no Dia do Folclore é motivo de orgulho e alegria para todos que fazem parte da festa. “Para mim é um prazer ser convidado para participar desse dia, apresentando a nossa cultura e me vendo junto com os companheiros que fazem parte do grupo, nesses registros”.

 A exposição fica aberta ao público até o dia 20 de setembro, das 8h às 17h, sem intervalo para o almoço. O Corredor Cultural Wellington dos Santos, ‘Irmão’, está situado na Rua Vila Cristina, 1051. Bairro 13 de Julho – Aracaju/SE.