30/01/2019 04h49 - Atualizado em30/01/2019 04h48

Aperipê TV chega aos 34 anos com mais de 30h de programação local no ar

Notice show 847f1bfc2ddaeff5
Aperipê TV 34 anos

Com mais de 30 horas semanais de programação local, atrações para todas as faixas etárias, a Aperipê TV completa nesta quinta-feira, 31 de janeiro, 34 anos de história. A emissora veicula em sua grade 23 programas, próprios ou em parceria, sendo a maior produção de conteúdo televisivo que destaca a identidade e a cultura sergipana, além de informação e prestação de serviços, no Estado.

A emissora pública, canal 6.1, foi fundada em 31 de janeiro de 1985 e juntamente com as rádios AM 630 e FM 104,9 compõem o complexo de comunicação pública do Estado de Sergipe. Recentemente, a partir de uma reforma administrativa, agregou também as atribuições da secretaria de Estado da Cultura, tornando-se a Fundação de Cultura e Arte Aperipê de Sergipe (Funcap/SE).

O surgimento da Aperipê TV marcou a comunicação sergipana, como informa Raymundo Luiz da Silva, um dos fundadores. “A Aperipê TV é o marco principal do progresso da televisão em Sergipe”. Naquela época, lembra Raymundo, não havia uma estrutura de comunicação cultural e educacional entre o estado e a população, “porque havia um único órgão de comunicação, que era a então Rádio Difusora de Sergipe. Era preciso que nós aceitássemos a modernidade, que era o advento da eletrônica, com a implantação das televisões. Já havia algumas televisões por aqui, mas o estado não tinha uma voz televisa”, contou.

Em mais de três décadas, a TV tornou-se o canal de expressão dos valores, da cultura e do modo de ser dos sergipanos. Para a diretora-presidente da Funcap, a professora Conceição Vieira, a emissora que está sempre aberta à participação popular, tem um papel essencial como fomentadora de conteúdo, indispensável à expansão e o fortalecimento do fazer artístico. “Esses 34 anos de história da TV Aperipê é algo que enobrece e engrandece a sociedade sergipana, os artistas e os gestores, que entenderam e entendem a importância de mantê-la, mesmo diante das dificuldades econômicas enfrentadas”, destaca a gestora, apontando entre suas missões a difusão, também, da educação.

Conquistando espaço

Ao longo dos anos, a emissora vem conquistando cada vez mais espaço nos lares sergipanos, graças tanto à qualidade de sua programação, quanto aos avanços tecnológicos que vem empreendendo. O diretor de radiodifusão da Funcap, Chiquinho Ferreira, lembra o papel importante de preservar e resgatar a história dos artistas e do próprio estado: “temos um departamento de produção que nos permite realizar um trabalho de qualidade, como o que estamos produzindo agora, a história de Josa, Vagueiro do Sertão, cujo aniversário é agora em março, e a história de tantos outros artistas, buscando sempre fazer um arquivo, um acervo do artista sergipano”, afirma Chiquinho.

Ferreira também chama a atenção para o fato de que a TV Aperipê, ao longo desse tempo, além de toda a produção de seu conteúdo, “e da importância que tem para a cultura e a comunicação no estado, cumpre também um papel extremamente importante, que é o de ser um laboratório aos desejam aprender a fazer televisão. “Ela, além de estar a serviço da notícia, da boa reportagem, da cultura e do entretenimento, é também uma escola. Muitos dos profissionais que hoje estão no mercado, e não apenas o sergipano, mas além fronteiras, ou foram estagiários ou começaram aqui. A emissora mantém convênio com duas universidades, uma particular e uma pública, e abre sempre as portas para que o aluno possa aprender, na prática do dia-a-dia, a correria, o corredor que é uma edição, uma matéria de rua. A Aperipê TV, além de toda a produção de seu conteúdo, da importância que tem para a cultura e a comunicação no estado, cumpre também um papel extremamente importante que é de ser um laboratório e uma porta aberta aos estudantes”.

Tecnologia e conteúdo

Nos últimos anos, a Aperipê TV vem passando por mudanças significativas, que tem permitido elevar a qualidade da produção de conteúdo, da veiculação da programação e consequente aumento da audiência. A grande mudança pela qual passou é a certamente a migração para o sistema digital, com transmissão em HD, fruto de um projeto de digitalização que nasceu em 2007.

 “Um projeto em várias fases” lembra Jefferson Andrade, diretor da TV: “com a transmissão em HD, passamos a ter uma visibilidade maior, que não tinha com a analógico. O Canal 2 requeria uma antena maior, o sinal não era dos melhores e a qualidade da transmissão comprometida. Hoje, estamos de igual para igual com relação às demais emissoras do estado. A mudança estratégica para a frequência Canal 6.1, ficando entre as duas maiores emissoras do estado, também foi importante para dar maior visibilidade ao que a TV produz”, afirma Jefferson, não sem lembrar que, hoje, a TV chega a 46 cidades do estado.

Jeferson Andrade também destaca o fato de que, em função da produção de conteúdo, a  Aperipê TV tem hoje significativo respaldo entre as emissoras públicas no Brasil, e que ela é uma referência junto as demais: “tanto junto à TV Brasil, e agora junto à TV Cultura, como emissora que tem um estrutura de produção local, de fornecer conteúdo diário aos seus telespectadores, próprio ou em parceria, além de sua qualidade técnica fazem da Aperipê TV uma emissora também bastantes respeitada lá fora”, ressalta.