29/04/2019 07h45 - Atualizado em29/04/2019 08h01

4ª Edição do “Culturart no Palácio” homenageia o Dia Internacional da Dança

Durante a tarde, apresentações de grupos de dança e da banda filarmônica Lira Paulistana encantaram o público presente

Notice show 1ccdd0c016dfb325
Foto: Alícia Mendes

O Dia Internacional da Dança (29 de abril) chegou mais cedo para a Fundação de Cultura e Arte Aperipê de Sergipe (Funcap/SE) que realizou na tarde da última sexta-feira, 26, mais uma edição do projeto “Culturart no Palácio” em homenagem à data comemorativa. O público pode acompanhar a apresentação da banda Filarmônica União Lira Paulistana, de Frei Paulo, como também as performances de grupos de dança de Aracaju. O evento ocorreu no Palácio-Museu Olímpio Campos, na Praça Fausto Cardoso.

Segundo a presidente da Funcap, Conceição Vieira, o Governo do Estado de Sergipe está empenhado à produção de políticas públicas que integram cada vez mais pessoas. “É gratificante prestigiar uma banda filarmônica constituída basicamente por jovens. O projeto dar visibilidade para grupos de diferentes segmentos artísticos do nosso Estado, como também aproxima a arte da população, preenchendo espaços no centro de Aracaju”, declara a presidente.

Os grupos de dança que participaram do evento foram: Cia Mari Lima, Cia de Dança Nutempo, Grupo Style Dance, Grupo Ori Tiarê Tribe, Lukas Wanderblack, Academia Fluence Danças, Adaggio, Grupo de Dança Loucurart, Academia Célia Duarte, Michele Pereira e o Coletivo de Dança Ginká. O “Culturart no Palácio” como fomentador de cultura no Estado, vinculou a data comemorativa do nascimento do bailarino, professor e ensaísta francês Jean-Georges Noverre (1727 – 1810) à programação repleta de atrações artísticas de dança.

A Cia Loucurarte desenvolve há 12 anos um trabalho de arte e inclusão que agrega andantes e cadeirantes de diferentes realidades que mostram como a dança é possível para todo mundo. “Quando eu sofri o acidente, achei que tudo tinha acabado, mas eu conheci o grupo e encontrei esperança. A dança mudou tudo em minha vida porque aceitei a minha realidade, me adaptei a cadeira e ganhei confiança para sair pelas ruas”, confessa Antônio Carlos que integra a Cia Loucurarte há quase três anos.

O “Culturart no Palácio” é realizado a cada quinze dias às sextas-feiras. O projeto atrai cada vez mais um público maior e diversificado. Sem dúvidas, a quarta edição do “Culturart no Palácio” alcançou a maior plateia desde o seu lançamento. “Eu sempre fui impressionada com a arte da dança, então esse momento ao ar livre no centro da cidade, me deixou emocionada porque não é sempre que temos essa oportunidade”, salienta Gabrielle Rodrigues.

A professora de dança, Mari Lima, tem um estúdio há dois anos que trabalha várias modalidades, uma delas é a ginástica rítmica. Para ela, comemorar o Dia Internacional da Dança em um evento promovido pelo Governo do Estado dar reconhecimento ao grupo e incentiva os integrantes. “Aproximar a nossa arte do público em espaços abertos como este, valoriza o nosso fazer artístico porque a arte se faz para nós e para o povo”, reconhece a professora da Cia Mari Lima.