11/10/2017 11h50 - Atualizado em 11/10/2017 11h50

Dr. Fausto Valois trata a Intolerância Religiosa direto com a sociedade

Notice show b6e7c974a61be13f
Intolerância Religiosa

Intolerância Religiosa tem sido um dos temas mais polêmicos em toda imprensa mundial, bem como tem aumentado o número de processos judiciais relacionados ao mesmo.  

Essa foi a pauta principal do programa “Aperipê Notícias”, nessa manhã de quarta-feira (11), onde o Diretor-presidente da Fundação Aperipê, Givaldo Ricardo e o apresentador do programa, Jailton Santana, receberam o renomado promotor de justiça, Dr. Fausto Valois para tratar do tema de uma maneira leve, clara e de fácil entendimento para a sociedade. Alguns dos pontos abordados pelo representante do Ministério Público foram: Religião mais afetada, Internet e Procedimento de Defesa.

Segundo Dr. Fausto, já existe uma tendência expressiva, em relação às religiões de Matrizes Africanas - “Temos dado uma atenção em relação aos líderes religiosos, Babalorixás e Alorixás, uma vez que os mesmo estão preocupados com questões relacionadas ao acionamento da polícia. Normalmente, as reclamações dizem respeito a perturbação do sossego por conta dos toques dos atabaques”.

A internet, através das redes sociais, tem sido um dos canais mais usados para demonstrações dos diversos tipos de intolerâncias, esse também foi um ponto ressaltado pelo promotor.

“Temos recebido informações de casos, através da internet, que aconteceram fora do estado de Sergipe e os mesmos têm sido apurados pelos diversos ramos dos Ministérios Públicos. Isso tudo acaba sendo um terror para as pessoas que respeitam as religiões. É bom que o país continue tendo atitudes para que esse tipo de intolerância não avance”!

Ainda acordo com Dr. Valois, existe a maneira correta, a qual os líderes religiosos precisam se posicionar, diante da intolerância – “Primeiramente, o importante para o direito, é a prova. Não vou dizer aqui, que a pessoa vá produzir uma prova que o coloque em risco de retaliações ou de sofrer alguma violação dos seus direitos, mas é interessante que o cidadão possa reunir. Hoje com o celular e mídias sociais, é possível fazer pequenas filmagens e até fotografias, registros e testemunhas. Acionem os órgãos públicos, temos o Ministério Público que e a Delegacia, que estão disponíveis para atender a necessidade”.

Durante o programa “Aperipê Notícias”, todas as esferas da sociedade puderam participar, fazendo perguntas e comentários, através das redes sociais e telefonemas. Participe você também, o programa vai ao ar, todas as manhãs, a partir das 6h, na 104.9 FM.